Desabafo

Sabe aquele dia em que você se sente a pior pessoa do mundo? Aquele dia que parece ser a pior TPM da vida? Que nada dá certo, o bolo murcha, as crianças choram por nada e a comida está sempre salgada? Pois então, multiplique isso por vários dias a fio… É assim que eu estava me sentindo semana passada, semana que quase desisti de tudo e que me vi longe para pensar melhor. 

foto desabafo

Eu creio que tudo nessa vida tem um propósito, se não for diversão, é lição com certeza! Tudo começou quando mudei de cidade e adquiri um pseudônimo de “Mãe na Massa”, sempre tratei as pessoas que me viam como mãe na massa como pessoas importantes e que precisavam de mim, que gostavam da minha vida e das dicas também. Alimentei essa ideia mais do que meu próprio filho, tenho mais fotos como “Mãe na Massa” do que como “Juliana” e acreditem isso é bem triste.

Eu amo fotografar, amo compartilhar e mostrar como é a MINHA tal “vida real”, que muitos e muitos acham que é uma imposição ou até mesmo uma afronta à outros tipos de vida que não são iguais à minha, e sinceramente isso não é verdade. Cada pessoa tem um estilo de vida e seja como for, seja rosa, seja de fantasia, seja preto e banco, seja chique, seja simples, seja como for, é uma vida real também, simples assim, oras bolas! 

Adoro falar da tal “vida real” porque bem sei que as pessoas sentem-se envergonhadas em dizer muitas coisas pelas quais elas passam, principalmente  as dificuldades  e não falo somente das dificuldades financeiras, falo de um modo geral, de como não somos as melhores mães do mundo ou as donas de casa perfeita. Falar sobre a dificuldade financeira então, bom, melhor deixar quieto, ainda mais nessa sociedade onde tudo tem que ser extremamente perfeito e alegre, não pode nem ter poeira no chão ao fotografar quiçá dizer que não vai ter janta completa porque a alface estava cara…

Vejam bem, não quero dizer que não podemos falar apenas das coisas boas, cada um fala o que quer e o que acha melhor, mas quero dizer que muitas pessoas têm vergonha de dizer as coisas não tão boas e nem tão coloridas assim da vida, e que muitas vezes, quando conseguem escrever isso, é apenas uma forma de desabafo, de aliviar aquela carga que possa estar pesada e que  ajuda  mesmo quem escreveu,  e não têm o intuito de colocar  uma “máscara de coitada e vítima da mesma”.

Está na moda as pessoas criticarem as donas de casa e mães em tempo integral e acontece bem assim:

Mariazinha: -“Nosso jantar de hoje, com muito amor :)” (foto do macarrão com frango)

Joaninha: – “Nossa, mas cadê o bom senso dessa mãe que não fez o molho natural?”

Fernandoca: -“Credo, vai manchar a roupa, não quero nem ver como a unha dela vai ficar de tanto esfregar no tanque…”

Mirnete: -” Aff, macarrão de farinha branca!”

Aí, se a Mariazinha vai lá explicar o porquê da refeição, pronto! “Vishê!” Comprou briga, chamou na “Xinxa” e quer subir nas tamancas quando na verdade não é bem assim, talvez ela só quisesse comer um simples macarrão com frango na Santa Paz de Deus, queria mostrar que aquela refeição simples foi preparada com amor, e queria também uma coisa chamada RESPEITO, que ela não deveria nem ter que pedir né…

Aí entra nessa questão da falta de respeito, em que não se pode mais agradecer  seus seguidores porque acham que você só se importa com números, não se pode falar de Deus porque ofende os Ateus, não se pode falar de economia, pois acham que você se faz de pobre, não pode dizer “vida real” porque acham que só a sua é real, não se pode falar de produtos de limpeza porque acham que você está sendo paga pela marca X, Y ou Z, que gasta demais ou que é louca, não se pode falar de presskit, pois acham que você está ali só pra ganhar brindes, falar de salsicha ofende muita gente, fritar um bife gera um caos, acordar tarde é preguiça, lavar tapete é ser “anti-mundo”, ter produtos caros é ter vida boa e blá blá blá…

E todo esse “achismo” das pessoas vão te prendendo mais ainda no mundo virtual e quase “sem querer querendo”, vão te mudando aos poucos, te moldando em uma pessoa que na verdade você não é, simplesmente pelo fato de não querer entrar em brigas, ofender ninguém e muito menos criar polêmicas desnecessárias, e isso é uma chata e triste realidade.

Tá, isso não acontece necessariamente com todas as pessoas, existem aquelas que são o que são e danem-se os outros, e que eu sinceramente tiro meu chapéu, pois eu mesma não sou! Existem também aquelas que não falam quase nada, são básicas com as palavras e tudo bem assim e existem aquelas que querem apaziguar céu e inferno, querem achar o equilíbrio de tudo é só se lascam e infelizmente sou está ultima opção, tenho a péssima (ou boa) mentalidade de acreditar no melhor das pessoas, sempre defendo, mesmo elas não sendo 100% corretas, afinal, pra mim, ninguém é 100% nada, ninguém é perfeito.

Já tem muito tempo que as pessoas (principalmente as pessoas mais velhas), comentam em minhas  fotos, que eu deveria passar mais tempo vivendo a vida ao invés de ficar  “enfurnada” em casa, ao invés de ficar limpando, cozinhando e etc e tal. Sempre disse o porquê eu fazia estas coisas, sempre tive meus vários motivos reais, não estou aqui somente por amor, assim como muitas outras pessoas, eu gostaria de estar passando a tarde na rua, levando meus filhos em cursos, parque e mil e outras coisas, mas eu tenho motivos que me impedem, que precisam de tempo para serem mudado. Levei muito tempo para aceitar esses comentários, que com o tempo também, passaram a ser mais constantes, como uma crítica construtiva e não como uma ofensa pessoa, afinal, não é fácil ter que explicar sempre seus motivos e querer que as pessoas entendam numa boa e que me abracem virtualmente e também não foi fácil entender os motivos pelos quais elas me dizem isso.

Acontece que isso não está acontecendo de uma forma tão natural como estava acontecendo ano passado, as críticas estão se tornando cada vez mais duras, dedos são apontados levando uma legião de outras pessoas a jogarem a lenha na fogueira para ver o circo pegar fogo, e digo mais, essas outras pessoas querem que o circo pegue fogo e que o bombeiro esteja de greve! Isso não está acontecendo somente comigo, tenho visto muitas amigas, colegas e até mesmo apenas conhecidas, sofrendo essa falta de respeito gerada por esse “achismo” de pessoas que se escondem por trás de uma tela que criam perfis falsos que só apontam críticas severas contra outras pessoas, o que me leva a pensar o porquê de tanto desperdício de tempo, de vida e de energia destas pessoas, juro que não entendo!

Diante de tudo isso que vem acontecendo nesse nosso meio, me cabe pensar se não estamos mesmo passando dos limites e estamos tornando nossas vidas tão expostas a ponto de outras pessoas julgarem de forma cruel, fazendo com você fique com  aquelas palavras duras martelando sua mente e te tirando do que realmente importa, mas penso também na quantidade de outras pessoas que ajudamos, que se inspiram e que  alegram nossos dias também. Onde está o erro disso tudo?

Respeito hoje em dia não tem mais nenhum sentindo nessa terra sem lei que é o Instagram e o Facebook. Perfil público se tornou perfil onde qualquer um entra e despeja o que bem entender sem pensar no sentimento de quem está lendo, sem pensar que aquela pessoa que está lendo pode estar passando por um momento delicado, e que o que está escrito pode levar á sérias conclusões.  

A vida está passando muito depressa e aí eu te pergunto, vale a pena você gastar tanto seu tempo nessa terra sem lei? Vale a pena você deixar seu filho brincando sozinho para responder às ofensas que são escritas em suas fotos?  Vale a pena você escrever o que pensa e ser julgada como a outra pessoa bem entender?  Vale a pena ser julgada e criticada tão duramente? O que realmente importa?

Quanto mais vejo e leio, mais tenho certeza de que aa humanidade como um todo está regredindo e que o mais certo é viver nossa “vida real” em off, sem que ninguém saiba ou veja, assim se tivermos problemas, saudades, alegrias, encontros, eles serão resolvidos olho no olho, e ai meu bem, respeito é fundamental para manter os dentes em ordem não é? Hahaha

Vale a pena tanto desgaste? Vale a pena ficar doente e até entrar em depressão por tudo isso? Vale mesmo a pena desperdiçar tempo escrevendo coisas ruins para pessoas de bem?

Pensem com muito carinho, pois a energia que você espalha, é a mesma que você recebe! 

Compartilhar é um carinho...Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Pin on PinterestShare on TumblrPrint this pageEmail this to someone