Intuição de mãe não falha!

Depois de muitas vezes indo e vindo em pronto-socorro, sempre os mesmos diagnósticos, sempre a mesma coisa, meu coração não estava em paz. Eu sabia que não era aquilo. Eu sentia, eu via que meu filho não estava bem, sua respiração não estava bem, ele não estava bem e eu sabia.
Minha intuição de mãe dizia que não estava bem.
Ontem (10/06) ele levantou bem cedinho, colou em mim e não saiu, já estranhei, ele não é assim. Tinha festa junina na escola onde ele ia dançar e eu perguntei se ele queria muito ir dançar, ele disse que sim, deixou eu pintar ele na sobrancelha mas não no bigodinho, respeitei, e foi, dançou bem tímido, com aquele sorrisinho muuuurcho, que não é a cara dele. Eu sabia que ele não estava bem mas ele queria dançar, não vi problema maiores. Ele quis ir no escorregador, avisei que era melhor não, meu coração na mão, ele foi. Uma, duas e na terceira vez ele disse que queria parar, já não estava respirando bem, muito ofegante. Foi ali que soube que precisava correr pro hospital.
Pronto, meu coração parou por instantes.
Minha atual cidade não tem atendimento de emergência com muitos recursos, nem no meu convênio, nem público. E sempre que vamos, escutamos: “Mãezinha, isso é apenas uma virose, vamos dar soro”, mas mãe sabe que não é aquilo. Tivemos que ir pra Hortolândia, nossa antiga cidade, que fica a 120km de distância de onde estamos. Ele com febre e muita dificuldade de respirar. Uma hora e pouco de estrada e eu rezando pra que ele ficasse bem. Chorei quando ele adormeceu. Pedi perdão pra Deus por todas as vezes que fiquei brava com ele por bobagem, por bagunça, pedi pra Deus a saúde dele de volta. Ver ele assim me marou.
Chegamos no médico e logo fomos atendidos, um senhor muito bom. Ele ficou muito tempo com a gente, conversamos e contei tudo, dei um histórico desde os 5 meses dele, quando foi diagnosticado com Alergia a Proteína do Leite de Vaca (APLV) e teve bronquiolite. Ele examinou, pediu inalação com medicação, raio-x e nos deu o diagnóstico que eu já desconfiava.
Enfim conseguimos diagnosticar o quadro do Arthur. Ele é uma criança asmática, e de sexta pra sábado o quadro piorou, por conta de uma sinusite. Essa inflamação atacou a asma dele de forma bruta.
Foi aí que eu senti alívio e desmoronei ao mesmo tempo. Quantas vezes eu quis acreditar nos outros diagnósticos e aquilo não descia. Eu sempre desconfiei, sempre bati o pé que não era só aquilo. Eu não tinha paz. Não me convencia e não me perdoo por ter esperado tanto tempo pra esbravejar com os médicos.
Eu sempre tentava argumentar com os médicos “Mas Dr. realmente não pode ser outra coisa?” Ou “Não é melhor fazermos outro exame?”. Muitas das vezes nem raio-x fazíamos, e olha que estávamos no convênio. O que vimos muitas vezes eram médicos super novos, que às vezes até consultavam algum livro que fica na gaveta, nos dizer que era uma virose. Nem sempre nos ouviam, nem sempre queriam ficar mais tempo em consulta.
Isso não quer dizer que não tenha médicos que estão ali faz não o seu melhor. De repente os médicos que pegamos não estavam nos melhores dias, ou estavam com problemas bem graves ou não sabiam. Eu não sei! Eu como mãe viro leoa e não acho justo terem nos empurrado durante praticamente 4 anos. Não me conformo e não é possível. Enfim…
No fundo eu sabia que tinha SIM algo errado, diagnósticos errados e médicos pouco preocupados.
Agora que temos um quadro onde todos os sintomas, onde tudo se encaixa e sabemos disso pois o Senhor que nos atendeu explicou tudo muito bem, desde o início da bronquiolite e APLV até o dia de hoje, praticamente 4 anos!
Então, assim eu fico mais em paz, pois agora sei o que fazer. Sei que teremos um caminho longo e até um pouco difícil pra percorrer mas sei pra onde ir, sei o que devo procurar e sei o nome do quadro dele.
O que quero dizer com tudo isso é que vocês que cuidam de seus filhos, seja mãe, avó, tia, pai, seja quem for, existe uma coisa que Deus nos agraciou com a chegada dos nossos filhos, que se chama “Intuição”, e graças a ela, muitas vezes podemos salvar nossos filhos. No caso aqui descobrimos um quadro que é grave mas que tem tratamento, mas conheço pais que tratam uma coisa é quando vão ver, é uma doença mais grave com menos tempo de reação. É triste!
Portanto, nunca deixem de seguir a intuição de vocês, se não está legal, vá investigar, procure algum médico que acredite nas suas palavras, que não deboche e nem diga que “Ah mãezinha, isso é bobagem” quando você relatar que algo não está bem.
Confie sempre no seu instinto, na sua intuição de mãe e não sossegue até ver tudo bem com o seu filho. Afinal, Deus nos agraciou com esse “poder” que foi pra gente cuidar e proteger nosso maior tesouro, nossos filhos.

Fiquem com Deus e até as próximas cenas da nossa novela.
Bjos!

Compartilhar é um carinho...Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Pin on PinterestShare on TumblrPrint this pageEmail this to someone